.st0{fill:#FFFFFF;}

Depressão, o mal do século 21 

 junho 26, 2020

Por Aldo Montes

Algo que você já vivenciou ou em algum momento de sua vida pode vivenciar…

Nasci em São Paulo e por volta dos 10 anos meus pais se mudaram para Taubaté, cidade situada no interior de São Paulo – Vale do Paraíba, cidade onde vivi até meus 20 anos, tenho boas recordações de meus amigos, escolas, professores, locais onde visitava e em especial de minha familia!

Me considero uma pessoa normal, de uma família de classe média, com problemas, mas de certa forma estruturada. Tive um bom lar, bons amigos e bons pais que me ensinaram valores importantes e que procuro seguir até os dias de hoje.

Tive uma infância, adolescencia e juventude saudável e ativa, desde a minha infância gostava de praticar atletismo e cheguei a defender minha equipe de atletismo em Taubaté durante minha adolescência e juventude.

Na escola nunca fui o melhor aluno, mas sempre procurei fazer meu melhor para estar na média, tive alguns percalços em vida acadêmica, mas com muito esforço e apoio de meus pais e minha familia consegui obter meu Mestrado pela Toronto University.

Profissionalmente, me sinto muito abençoado, sempre tive várias pessoas que ajudaram a chegar onde cheguei, e sempre serei agradecido a todos que Deus colocou em meu caminho para meu apoiar na minha caminhada profissional até o dia de hoje!

Acredito no ditado que diz: “Deus ajuda quem cedo madruga”, mas eu faria uma pequena ressalva: “Deus ajuda quem cedo labuta!”.

Considerando esses fatores, eu poderia eu posso dizer que tive uma vida normal e feliz com altos e baixos, porém nada muito grave, dito isto, eu seria um potencial candidato a nunca ter nenhum problemas psicológicos.  Mas a realidade não foi bem assim.

Minha primeira crise de depressão aconteceu quando, após um ano de casado, minha esposa foi embora, levou minha filha mais velha (Keila) e nunca mais regressou. Naquela época, foi um baque muito grande e pensei que não iria me recuperar. Perdi duas pessoas muito importantes na minha vida ao mesmo tempo: a esposa e a filha primogênita.

O tempo passou e novas oportunidades e dificuldades vieram, mas sempre procurei ser resiliente, confiar e enfrentar os desafios, mas claro que nem sempre que algo ruim acontece na vida é motivo para se entrar em depressão as vezes é para nos fortalecer e criarmos resiliência.

Situações de estresse continuo e circunstâncias criticas em nossa vida podem levar a uma fase de depressão, como a perda de um emprego, um ente querido ou até a briga com um amigo especial. Por outro lado, a depressão pode acontecer sem aparente motivo. Tudo está indo bem e de repente se sente um vazio na alma. As contas estão em dia, a família está bem, a saúde física e tudo teoricamente se deveria estar bem, mas não se está.

Esses momentos, sem causa aparente para depressão, são delicados. Torna-se um círculo vicioso. Estamos péssimo, sem motivo, os familiares questionam sobre o porquê de estar assim e simplesmente não sabemos explicar o por quê de estarmos deprimidos e sem ânimo para vida…

– Tudo está em ordem com sua família e com sua saúde física e com você, então por que você está apático e sem vontade de viver?!

Isto pode ser depressão!

Quem já vivenciou esta amarga experiência deve compreender o que é o vazio na alma. Se perde o interesse pela vida. Como algo invisível que chega sorrateiramente e quando se dá conta, já se instalou. Acaba-se o ânimo para levantar, andar, se alimentar, rir, conversar, conviver com as pessoas e neste momento tudo o que vem em sua mente é a vontade de sumir.

Em meu caso tenho tido a felicidade de contar com amigos e apoio de minha família, as vezes é necessário buscar auxílio profissional (psiquiatra e ou psicólogo), além da ajuda de amigos, se deve encontrar algo que lhe traga felicidade, pequenas coisas do dia-a-dia que tragam alegria, como a presença de uma criança, estar com seu animalzinho de estimação, caminhar, andar ao sol ou mesmo ouvir uma boa música.

Ações são necessárias, para que a vida fica não fique sem sentido e sem perspectiva de melhora, levando a sensações negativas, sentimentos ruins e pensamentos de querer deixar de viver.

Eu já passei por alguns processos depressão no decorrer da vida e tive a felicidade de ter pessoas especiais ao meu lado, que me apoiaram no momento crítico. E serei sempre grato pelo que fizeram por mim.

Caso você esteja passando por depressão, não tente superá-la sozinho. Procure auxílio profissional, se abrir com os familiares pode ser uma boa opção e procure um bom amigo capaz de lhe ouvir sem te julgar.

Vários fatores me ajudaram a sair da depressão. Eu tive apoio através de orações, conselhos, amigos e a volta da prática de esporte. Caso você não creia em Deus, sem problemas, peça para uma força maior te ajudar nestes momentos difíceis. Não tente enfrentar este mal sozinho. Uma boa amizade, familiares, exercícios físicos e o resgate de coisas que lhe tragam prazer e felicidade, como hábitos esquecidos no passado que antes lhe faziam bem: um hobby como pescar, correr, ouvir música, um curso de artesanato ou qualquer outra coisa que você goste. Não importa o que os outros pensem, desde que faça bem à você!

A depressão parece ter rodeado bastante a minha vida e creio que vou sempre ter que conviver com ela ao meu redor, mas hoje me sinto mais apto a lidar com ela, pois quando ela chega, eu sei que é o momento de olhar para mim em primeiro lugar e de buscar as coisas que satisfazem a mim mesmo.  E só eu posso tomar este caminho, pois ninguém mais o fará.

Peço a Deus que sempre me dê sabedoria, compreensão e amigos especiais para esses momentos. Assim como capacidade e  iniciativa de sair da inércia. Este é o momento mais difícil, mas uma vez que você dá o primeiro passo, os resultados virão e você poderá dizer que sim: vale a pena viver!

Tive a oportunidade de falar com um amigo e ele me disse: Aldo o que você gosta de fazer e você tem deixado de fazer? Refleti bastante e depois de um longo período, descobri que andar de moto era algo que me fascinava quando adolescente e em minha juventude, descoberto isto, comecei a pesquisar as várias opções de motos, planejei, pesquisei, comparei, andei e finalmente comprei uma moto e hoje estou muito feliz com este momento e sei que existe um longo caminho a ser percorrido, pois a depressão é algo que sempre vai estar rondando minha vida e peço a Deus que Ele me dê sabedoria, entendimento e principalmente amigos especiais para quando isto ocorrer (se ocorrer) novamente eu ter a capacidade e a iniciativa de tomar atitudes para sair desta inércia, este é o momento mais difícil, mas uma vez que você consegue superar isto os resultados virão e você poderá dizer que sim, vale a pena viver!

Espero assim, de alguma forma bem simplista, direta, real e nada técnica possa contribuir a você que está lendo este texto.

Abraços e até a próxima!

Aldo

PS.: Caso tenha gostado deste texto, fique a vontade em compartilhar!

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios.

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
EnglishPortuguêsEspañol