.st0{fill:#FFFFFF;}

Dinheiro, um ótimo escravo e um péssimo patrão! 

 junho 26, 2020

Por Aldo Montes

Hoje resolvi escrever sobre este delicado tema, a primeira vez que ouvi esta frase, eu trabalhava em uma corporação multinacional e no intervalo de nosso almoço tinha que percorrer uns 800 metros até o refeitório e eu aproveitava estes minutos para conversar com amigos do trabalho, um dia, meu amigo (Venceslau é seu nome) disse “Dinheiro, um ótimo escravo e um péssimo patrão” confesso que na hora eu não entendi o real significado daquela frase e perguntei, Venceslau me fale mais sobre isto, foi então que ele, como todo bom e educado Mineiro, explicou o sentido e no final acabei concordando com ele.

Deste então, sempre que tenho que tomar alguma decisão que envolva o uso do dinheiro (seja meu, de outra pessoa ou de alguma corporação que represento) procuro rapidamente aplicar esta frase, confesso infelizmente que nem sempre é assim.

Muitas vezes quando pergunto para amigos o que a Bíblia diz a respeito do dinheiro, na grande maioria prontamente responde: “O dinheiro é a raiz de todos os males” eventualmente, insisto, sobre se é isto realmente que esta escrito na Bíblia e muitos dizem: Sim é isto que esta escrito na Bíblia, agora vamos checar o que realmente esta escrito na Bíblia sobre o dinheiro?

Porque o amor ao dinheiro é raiz de todos os males… I Timóteo 6:10 (parte a)

Se observamos a frase que é dita pela maioria das pessoas e que realmente está escrito na Bíblia, existe uma pequena ‘nuance’, porém, como diz o ditado: “O diabo esta nos detalhes”, entendo que o dinheiro não é bom ou ruim, ele pode ser bom ou ruim de acordo como coloco o meu coração quando eu lido com o dinheiro, o que quero dizer é que o dinheiro pode ser muito útil para nós e para ou outros sempre e quando eu souber utilizar de forma adequada, para meu estar pessoal, de minha família e da comunidade que eu vivo.

Como também pode ser prejudicial dependendo da ênfase que coloco, se eu não considerar determinados princípios éticos e padrões morais se obter ou utilizar o dinheiro, ele pode ser nocivo para mim, minha família e minha comunidade.

Se eu não considerar como vou acumular os bens materiais sem contar que posso estar prejudicando a mim, minha família ou minha comunidade, neste caso o dinheiro passa ser prejudicial para mim.

Hoje vivemos em uma geração que o mais importante é acumular riqueza quanto antes, aplicar o dinheiro ganho, não posso gastar com isto, caso contrário vou deixar de aplicar, não posso comprar esta comida, pois tenho que economizar para checar ao meu primeiro 1.000,00 (reais, euros ou dólares) antes dos 18, 19, 20 anos e com isto vivemos em um frenesi que faz com que percamos o sentido de viver e de desfrutar de pequenas coisas.

Reconheço que muitas vezes eu também vivo este frenesi, porém, entendo que sim, temos que poupar para os dias futuros, temos que nos planejar financeiramente, temos que estar cientes que nem sempre vamos ter a idade e, nem a energia e vitalidade que hoje temos, porém, não podemos e não devemos deixar de viver e de usufruir de pequenas coisas que estão acontecendo em nosso presente, o futuro somente pertence a Deus.

Pessoalmente acredito que esta é umas das razões pela quais os povos Judeu e Anglo Saxônicos são tão abençoados financeiramente, eles sabem respeitar e cuidar do dinheiro de forma que isto já faz parte da vida deles desde a infância, não vem o dinheiro como algo mal, mas como uma benção que Deus proporcionou através de seus esforços, infelizmente isto muito vezes não acontece com os Latinos que acreditam que os “Os pobres de espirito herdaram o Reino de Deus” Quando, na verdade o a Bíblia se refere e: “As humildes de coração”… uma coisa é bem material e outro são bens espirituais, creio que ao podemos ser abençoados sendo generosos se doarmos parte de nossa renda e de nosso tempo (seja para uma comunidade religiosa ou comunidade carente) isto poderá nos trazer benefícios pessoais e materiais a todos a quem doou e para aqueles que receberam.

Vivemos em um mundo cada vez mais egoísta e individualizado e com isto as vezes perdemos a grande oportunidade de abençoar as demais pessoas menos favorecidas, creio que praticar a caridade (sem fazer publicidade) é algo positivo e benéfico tanto para aquele que recebe como para aquele que doa.

Segue abaixo 7 dicas, pois, acredito que podem sem úteis para todos nós!

1. Cuide bem do que é dos outros, caso você o administre.

E se não fostes fiéis no alheio, quem vos dará o que é vosso? Ou seja, se você não souber cuidar algo que lhe outorgado a cuidar (seja como um funcionário de uma corporação ou mesmo algo de seu amigo (a), provavelmente não cuidará bem de seus próprios recursos.

2. Planeje bem os seus gastos e investimentos.

Quem de vós, querendo fazer uma construção, antes não se senta para calcular os gastos que são necessários, a fim de ver se tem com que acabá-la? Para que, depois que tiver lançado os alicerces e não puder acabá-la, todos os que o virem não comecem a zombar dele, dizendo: Este homem principiou a edificar, mas não pode terminar. Muita atenção, “Se voce não tem tem tempo para Planejar, então reserve muito dinheiro e tempo para consertar”.

3. Mantenha uma poupança.

Na casa do sábio há reservas de comida e azeite; o homem imprudente, porém, devora tudo o que pode. Procure guardar algo para o inverno da vida, não imagine que nossos recursos são ilimitados e que nunca terminarão.

4. Não seja avarento.

Vivei sem avareza. Contentai-vos com o que tendes, pois, Deus mesmo disse: Não te deixarei nem desampararei. Conheço pessoas ricas financeiramente que vivem como se fossem pobres miseráveis e conheço pessoas com poucos recursos financeiros que vivem de forma confortável e inclusive ajuda a outros menos favorecidos. O segredo não é a quantidade de quanto eu tenho, mas com que qualidade usufruo tudo o que tenho.

5. Não ame o dinheiro.

Aqueles que ambicionam tornar-se ricos caem nas armadilhas do demônio e em muitos desejos insensatos e nocivos, que precipitam os homens no abismo da ruína e da perdição. Porque a raiz de todos os males é o amor ao dinheiro. Acossados pela cobiça, alguns se desviaram da fé e se enredaram em muitas aflições. Use o dinheiro a seu favor, não troque seus princípios, sua fé seu caráter simplesmente para obter mais dinheiro.

6. Reconheça que Deus é o dono de tudo.

A vós, Senhor, a grandeza, o poder, a honra, a majestade e a glória, porque tudo que está no céu e na terra vos pertence. A vós, Senhor, a realeza, porque sois soberanamente elevados acima de todas as coisas. É de vós que vêm a riqueza e a glória, sois vós o Senhor de todas as coisas; é em vossa mão que residem a força e o poder. E é vossa mão que tem o poder de dar a todas as coisas grandeza e solidez. Que possamos ser gratos a Deus por tudo que temos pois no final é Ele quem nos dá o dom da vida.

7. Dedique a Deus o uso dos seus bens.

Honra o Senhor com teus haveres, e com as primícias de todas as tuas colheitas. Então, teus celeiros se abarrotarão de trigo e teus lagares transbordarão de vinho. Tudo que temos e que ganhamos foi através de nossos esforços, porém, sem a ajuda e a guia de Deus provavelmente não teríamos e nem seríamos a pessoa que somos, portanto, procure retribuir a Deus parte de você já conquistou.

Finalmente, procure viver mais o presente, menos o passado, pois, o excesso de passado nos traz depressão e o excesso de futuro nos traz ansiedade e preocupação. Curta mais seus objetos caros que você conquistou, aquele perfume especial, uma roupa que esta guardada a tanto tempo no seu armário, um relógio, um sapato, uma joia, etc., esperando um evento especial, lembre-se, pode ser que este evento especial nunca ocorra, pois, ninguém tem a promessa do dia do amanhã.

Caso tenha feito sentido este artigo para você, eu gostaria de ouvir seu comentário, crítica e/ou sugestões e por favor compartilhar.

Até mais,

Aldo

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios.

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
EnglishPortuguêsEspañol