.st0{fill:#FFFFFF;}

Mensagem a Garcia 

 julho 24, 2020

Por tecnologiaparacoaches

Elbert Hubbard – fevereiro de 1899

Recordo ainda hoje meu primeiro trabalho no mundo corporativo (na verdade, iniciei minha vida profissional ajudando meus pais em um pequeno armazém em São Miguel Paulista aos 9 anos de idade). Entretanto, esta seria a primeira vez que eu iria trabalhar em uma empresa admirada, cobiçada e do meu interesse: EMBRAER. Sim, a Empresa Brasileira de Aeronáutica, isto ocorreu na década de 80.

Eu havia passado por um processo seletivo intenso, estressante e interessante (quem sabe um dia descrevo melhor como foi), mas eu gostaria de falar hoje sobre o meu primeiro dia de trabalho nesta empresa que tanto admirava.

Ao chegar no escritório, eu estava ávido para começar a trabalhar, aprender sobre minha nova atividade como Assistente de Importação – tudo era novo para mim e eu nem acreditava que havia sido admitido – queria iniciar logo, mostrar as minhas competências e habilidades (que eu julgava ter). Meu gerente, Gilberto Gil, era uma pessoa alta, falava com firmeza, enérgico, porém educado. Me apresentou para todos no escritório e, na sequência, me levou para uma sala de reunião, entregou um papel com algo escrito e disse: “Aldo, leia este artigo.” E saiu em seguida.

Fiquei sozinho e comecei a ler mesmo sem entender nada. Não era um manual sobre os procedimentos da Embraer, não descrevia minhas tarefas ou falava sobre a Política da empresa. Até o título parecia estranho – “Mensagem a Garcia”. Li e reli algumas vezes, mas segui me perguntando o porquê daquela carta.

Passado cerca de 90 minutos, meu Gerente entrou na sala e perguntou:

– Aldo, você leu a carta?

– “Sim” – respondi.

Então ele me perguntou o que eu havia entendido e eu respondi praticamente o que estava escrito. Então ele me perguntou novamente:

– O que você entendeu Aldo?

Neste momento comecei a suar de nervoso e temia pela minha própria resposta. Ele percebeu o meu constrangimento e disse: “Aldo quando alguém lhe passar uma tarefa, faça tudo para cumpri-la, entendeu?”. “Sim”, disse eu prontamente.

Antes de sair da sala ele pediu para eu ler novamente, em seguida, procurar uma pessoa específica que seria o meu Supervisor.

Para você que, porventura, não tenha lido o artigo Mensagem a Garcia, segue o link da sinopsehttps://pt.wikipedia.org/wiki/Mensagem_a_Garcia

Segui sem entender o que ele estava querendo me dizer por um tempo, acho que minha ficha somente veio a cair depois de uma semana, na verdade.

Hoje, quase 40 anos depois, gostaria de agradecer meu antigo Gerente Gilberto Gil, por ter investido tempo e ter confiado em mim e em meu trabalho, infelizmente nunca mais o encontrei.

Vivemos em um mundo em que muitos querem responsabilidades, porém nem todos estão dispostos a assumir os riscos que as acompanham. Algumas vezes, aceitamos desafios e no primeiro obstáculo recuamos e até mesmo buscamos alguém ou algo para nos desculpar do porquê de não termos conseguido executar as nossas tarefas.

Vivemos em um mundo corporativo, familiar e/ou social cada vez mais competitivo, não basta somente termos nossas habilidades técnicas (Hard Skills) super desenvolvidas, precisamos aprimorar e desenvolver nossas habilidades interpessoais (Soft Skills), ser mais criativos, termos iniciativa, sermos proativos, flexíveis e procurarmos soluções e não mais problemas.

Uma de minhas atividades como Coach e Mentor é ajudar os meus clientes, sejam eles executivos de grandes corporações ou profissionais que vão iniciar no seu primeiro emprego, a desenvolver habilidades interpessoais (Soft Skills) e, graças a Neurociência, técnicas existentes, treino e aplicação, os resultados logo aparecem.

Fico pessoalmente muito feliz quando consigo atingir estes resultados junto aos meus clientes, o meu papel é mais de um facilitador do que realmente um executor.

Que sejamos lembrados como pessoas no mundo e no ambiente em que vivemos como solucionadores de problemas e não como pessoas que recebem um problema e trazem dois outros para serem resolvidos.

Confesso que mesmo depois de 40 anos, tenho que sempre me vigiar e corrigir os meus erros e defeitos, mas quando me lembro da carta, Mensagem a Garcia, parece que tudo fica mais desafiador e uma força interior faz com que eu procure oferecer meu melhor para sempre encontrar e trazer soluções para minha equipe, família e empresa que trabalho ou presto consultoria.

Naturalmente, nem tudo ocorre como planejamos e, quando achamos que já aprendemos tudo nesta vida, ela vem e muda a regra do jogo. Por diversos momentos assumimos o papel de iniciantes numa nova caminhada, mas não percebemos o quanto isso é bonito: ter consciência que sempre seremos aprendizes e eventualmente mestres em alguma atividade. Precisamos estar dispostos a aprender e a quebrar paradigmas, com esforço, empenho e, quem sabe, sob a iluminação e ajuda de Deus, vamos conseguir entregar a Mensagem a Garcia!

Espero que tenha desfrutado desta leitura e caso queira ler o original da carta: Mensagem a Garcia, segue o link: http://www.3bdainfmtz.eb.mil.br/phocadownload/arquivos/mensagem.pdf


Caso este artigo tenha feito sentido a você, fique a vontade em compartilhar!

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios.

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
EnglishPortuguêsEspañol