.st0{fill:#FFFFFF;}

O melhor amigo do homem. 

 junho 26, 2020

Por Aldo Montes

Hoje consultando o Google com a seguinte frase: Qual o melhor amigo do homem? A resposta foi unânime: o Cão (pelo menos nas 20 primeiras pesquisas)

Receio que em breve quando fizermos esta mesma pesquisa, a resposta poderá ser: O Celular, sim o celular, foi se o tempo em que cachorro era considerado o melhor amigo e companheiro do homem, infelizmente este tempo parece que já não existe mais, com nossa vida atribulada e individual em que vivemos, a melhor companhia do homem/mulher passou a ser o celular, observo nos restaurantes, casais rindo sozinhos com seu celular na mão, no ponto de ônibus, não existe mais a conversa com seu companheiro de trabalho, na rua, quase todos caminham sozinhos ou acompanhados cada um com seu celular, olhando o Instagram, Facebook, Twiteer, noticias, etc, vivemos em uma era digital que esta contribuindo em acabar dia a dia, com a essência do ser humano, que é a própria humanidade.

Estes dias atrás, um amigo (Odorico é seu nome) me mostrou uma foto de um telegrama que ele havia enviado para sua irmã a muitos anos atrás, logo conversamos sobre o Telex, Telegrama, Fax, telefone analógico, cartas enviadas pelo correio, que saudades daqueles tempos! Se você está lendo este artigo e tem seus 20 anos, provavelmente nunca ouviu falar em nada disto que comentei acima.

O interessante é que, se por um lado a tecnologia veio ajudar a aproximar as pessoas que estão distantes de nós, com Skype, Hangouts, Uber Conference, Whatsapp, Facetime e outros aplicativos que ajudam a comunicar com nossos amigos, parentes e colegas que estão distantes, isto naturalmente é muito útil e proveitoso em nosso dia a dia, porém, a mesma tecnologia que nos aproxima das pessoas que estão distantes, acaba por nos afastar de nossos entes queridos que muitas vezes vivem debaixo do mesmo teto (pais, filhos, sobrinhos, netos etc).

Às vezes me pego na cozinha enviando um Whatsapp para minha filha que esta em seu quarto para avisa-la que o café, o almoço ou o jantar está pronto, a resposta naturalmente é imediata, já vou papai, (porém, sempre tarda para vir), hehehe

Recordo há um ano, decidi tirar duas semanas de férias na Espanha com minha filha Rebeca, tudo preparado, estávamos muito ansiosos, pois, passaríamos duas semanas juntos e depois ela ficaria em Múrcia (Sul do Espanha), estudando por 6 meses na Universidade Católica de Múrcia, passamos antes em Madrid e convidamos meu irmão mais novo (Denis é seu nome) que já mora na Espanha há 15 anos, decidimos fazer uma viagem para o sul da Espanha.

A primeira cidade que passamos a noite foi Sevilha, tudo muito maravilhoso, paisagens, museus, castelos, ruas, bares, pessoas enfim tudo muito bonito, decidimos dormir em um hostal (bem econômico, porque minha filha que é bem pão dura) disse que não queria gastar mais que 15 euros por noite, por pessoa, hehehe

Enquanto viajávamos, meu irmão (via celular) encontrou um hostal pela bagatela de 36 euros/diária, ou seja, 12 euros por pessoa (aprovado pela minha filha), chegamos lá o quarto naturalmente era minúsculo, mal couberam as malas, enfim decidimos descansar um pouco e planejar como seria nossa noite e planejar a viagem do dia seguinte e logo em seguida sair  para desfrutar os encantos da noite de Sevilha, passados uma hora, todos devidamente conectados com seus celulares, detalhe, esta foi condição de minha filha era que tinha determinado, (wifi grátis), tentamos conversar algumas vezes, porém, sem sucesso, todos os três, estávamos com nosso melhor amigo e inseparável celular nas mãos, neste momento meu irmão Denis, teve uma brilhante idéia, criou na hora um grupo no Whatsapp: “Spanish Fiestas”, em seguida começamos a conversar os 3 em um mesmo quarto minúsculo, via Whatsapp naturalmente enfim o problema foi resolvido! Eu não aguentei e até hoje dou risadas quando me lembro desta situação!

Voltando ao assunto do melhor amigo do homem, nossos queridos pets, será que eles acabaram sendo colocados em 2º ou 3º lugar em nossa lista de prioridades? Muitas vezes saímos com eles, mas antes, checamos tudo, coleira, saco plástico, água e o mais importante nosso celular. Aquele momento que no passado recente era lúdico e especial, saíamos para relaxar e cumprimentas com nossos vizinhos ou mesmo conversar com nossos pets, eu pessoalmente gosto de conversar minha pet (Julie é seu nome), agora esta se tornando algo de ficção, vejo muitas pessoas caminhando pelos bosques, parques, bairros e ruas de cabeça baixa com seu celular, como se não existisse mais o seu pet, ele deve ficar triste, pois, ele continua sendo querido, amigo, disponível e o mais importante, ele se considera ainda o melhor amigo do homem, agora passou a ser apenas um detalhe ou um pretexto para fazermos nossa caminhada, com nosso querido celular, naturalmente.

Que venhamos refletir, creio que ainda há tempo para corrigirmos tudo isto que a tecnologia e que a sociedade esta nos empurrando a todos nós, algo como sendo perfeitamente normal, na verdade, parece que estamos vivendo em uma sociedade cada vez mais tecnológica, mais fria, mais individualista, menos humana e caridosa

E, por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos esfriará. Mateus 24:12

Finalmente, imagino quantos bilhões de dados e de reais/dólares são consumidos todos os dias em todas redes sociais, alguém ou muitas corporações estão lucrando muito com isto, que venhamos (incluindo a mim) voltar a fazer com que o melhor amigo do homem seja nosso querido e amável cãozinho que sempre está disposto a nos dar atenção, carinho e companheirismo, mesmo quando descuidamos dele e relegamos ele a um 2º ou 3º plano, que venhamos a ser sensíveis, amigos, companheiros e amorosos como nossos pets.

Até breve

Aldo

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios.

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
EnglishPortuguêsEspañol