.st0{fill:#FFFFFF;}

O Mestre, o discípulo e a vaquinha. 

 janeiro 1, 2019

Por Aldo Montes

Provavelmente você já tenha ouvido esta parábola alguma vez em sua vida, eu ouvi quando tinha 15 anos, minha querida e saudosa mamãe me contou, ela tinha o dom de contar histórias: “Um mestre estava passeando pelos campos com seu discípulo quando encontraram uma família (pai, mãe e dois filhos) eles viviam em uma fazenda em condições muito precária e tinham uma vaquinha que lhes dava o leite suficiente para alimentação básica diária.

O discípulo vendo a difícil condição daquela família, dirigiu a seu mestre e lhe perguntou: “Mestre, o que podemos fazer para melhorar a condição desta família que vive neste estado de penúria?”

O mestre calmamente respondeu: “Vá até à casa deles ao entardecer e quando todos já estiverem dormindo, retire a vaca do curral e atire-a no abismo”, ao ouvir isto o discípulo ficou espantado e indignado com a recomendação dada pelo seu mestre, porém, ele sendo obediente, fez o que o seu guru lhe instruiu, sem, contudo, entender o que estava fazendo.

Em seguida, perguntou ao seu mestre e agora que vamos fazer, o mestre falou: “Vamos seguir nosso caminho”, o discípulo ainda mais indignado seguiu caminhando com seu mestre sem entender nada sobre a orientação dada por ele…

Passado uns seis meses, eles passaram novamente por aquela fazenda e encontram aquela mesma família, para surpresa do discípulo ele viu o pai trabalhando, a mãe lavando roupas e com um lindo jardim arrumado, os filhos estavam voltando da escola bem arrumados e todos pareciam bastante felizes e em condições muito melhor que há seis meses, foi então que o discípulo, questionou ao pai da família e perguntou: “Passamos aqui há seis meses e vocês viviam em situação precária e agora vemos que vocês tiveram um significativo progresso, a vossa casa está arrumada, o jardim, esta bonito, existem galinhas no galinheiro, o pasto esta bem arado, sua esposa está com as roupas limpas, seus filhos estão estudando, parece que ocorreu uma mudança para melhor em tão pouco tempo com sua casa, o senhor poderia nos dizer o que aconteceu?”

O pai da família, paciente entusiasticamente disse: “Pois, é, há seis meses, vivíamos em condições miseráveis, tínhamos uma vaquinha que nos dava o leite suficiente para tomarmos todos os dias, um dia, porém, a nossa vaquinha caiu no abismo e quando nos demos conta não tínhamos mais nossa alimentação diária”, foi então que o discípulo questionou: “E vocês não passaram fome e dificuldades?”

Então o pai daquela família disse: “Sim, passamos dificuldades, fome e ficamos preocupados, porém, uma vez que já não tínhamos mais nossa vaquinha para nos dar o leite diário, decidimos que tínhamos que trabalhar para nos alimentar, então surgiu a ideia de começarmos a utilizar melhor nossa fazenda e nossos recursos”.

Começamos a levar os filhos para a escola, minha esposa, logo arrumou um emprego em nossa vizinhança, comecei a acordar mais cedo e a preparar à terra, ofereci meus trabalhos para meus vizinhos e logo prosperamos, creio que, na verdade foi um livramento de Deus, ter ocorrido a perda daquela vaquinha, hoje nossa vida esta muito melhor e estamos muito mais felizes”. Foi então que o discípulo entendeu a atitude “drástica e sem sentido” que seu mestre havia tomado.”

Naturalmente que isto é uma parábola ou seja uma ficção, porém se aplicarmos isto para nossas vidas, as vezes é preciso matar alguma “vaquinha” que esta nos atrapalhando de crescer como pessoas e como profissionais, pior ainda as vezes estamos, sem saber sendo uma vaquinha na vida de algumas pessoas, pensamos que estamos ajudando estas pessoas, mas, na verdade, estamos atrapalhando o crescimento de alguém, não estou aqui querendo dizer que não devemos ser generosos e nem devemos deixar de ajudar pessoas carentes e necessitadas que

Deus muitas vezes coloca em nossos caminhos, mas temos sim que pedir discernimento para sabemos se estamos sendo úteis para alguém, ou simplesmente estamos fazendo o papel de alguma “vaquinha” na vida de alguma pessoa e/ou família, impedindo desta forma de deixarmos que ele (a) cresça.

Eu pessoalmente tenho que reavaliar de tempo em tempo, “algumas vaquinhas de estimação” que levo no meu dia a dia e acabam impedindo o meu crescimento pessoal e profissional.

Quando aplicamos para nossa recente realidade brasileira, creio que o Programa Bolsa Família, quando foi criado, acredito que o propósito foi positivo e foi muito benéfico para muitas famílias carentes que ainda vivem no Brasil, no meu ponto de visto, porém o governo errou quando não criou em paralelo um programa de capacitação profissional e acadêmica destas famílias, de forma que após um determinado tempo, estas famílias beneficiadas fossem gradativamente sendo preparadas para se auto sustentarem e se tornarem independentes e com isto novas famílias poderiam ser beneficiadas deste programa governamental.

Às vezes em nossas vidas profissionais, temos que nos arriscar e nos desfazer desta “vaquinha” que nos dá somente o mínimo necessário para vivermos e com isto deixarmos de nos arriscar e nos expor a novos desafios e com isto perdemos uma grande oportunidade de melhorarmos pessoal e profissionalmente.

Estamos vivendo em pleno século XXI onde cada vez teremos oportunidades de trabalho e não necessariamente empregos nos moldes que conhecemos no século XX onde entravamos em uma empresa e nosso sonho era nos aposentar nesta empresa, isto cada dia vai ser mais difícil e raro de acontecer, porém, vejo com um campo super vasto para aqueles que encontram uma oportunidade em cada dificuldade que a vida nos apresenta.

Você gostou deste artigo? Gostaria que eu lhe ajudasse de alguma forma? Clique aqui para entrar em contato comigo

Que você tenha um bom e abençoado 2019!

Até mais,

Aldo

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios.

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
EnglishPortuguêsEspañol